segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

After All - 2ª Temp. - Season Finale

Crescer é uma experiência difícil para aqueles que vivem no mundo dos sonhos. Comigo sempre foi assim. Durante toda a minha vida eu só sonhei e pouco vivi. E quando fui retirado da minha redoma de vidro e jogado no mundo real, foi como mergulhar num tanque de água gelada. Todo o calor do conforto e dos sonhos que eu tinha havia sumido. Foi como estar no deserto à noite. Tudo escuro e sem saber para onde ir. Sem saber como agir e até mesmo sem saber quem eu realmente era.

Eu vivo dizendo que esse foi o pior ano da minha vida, mas será que foi mesmo? No geral eu acho que não. Talvez eu só tenha sentido falta da segurança que o ambiente escolar me proporcionava. Agora tudo é incerto e o tempo parece apenas um conceito relativo. As coisas parecem que não têm validade para acontecer e os meses já não fazem diferença.

Esse ano eu enfrentei o diferente e fui forçado a criar responsabilidade e a crescer. Aprendi que ser adulto não é a melhor coisa do mundo, mas sem dúvida tem suas vantagens. Sonhar ainda é permitido, mas com os pés no chão. Se voar muito alto, deve saber que a queda pode machucar. Em suma, você aprende que a lei de Newton sobre ação e reação é a que mais impera no dia a dia.

Eu tenho planos para o próximo ano e novamente tenho medo de não conseguir realizá-los (como aconteceu esse ano). E isso me dá medo, porque agora a vida parece uma contagem regressiva e talvez você não consiga fazer tudo o que planeja antes de morrer. Na época do colégio, meu principal plano era me formar e quando isso aconteceu, eu já estava empregado e feliz da vida (o sofrimento veio depois). Tudo parecia mais certo até que tudo começou a desandar.

Mas ao contrário de tudo o que dizem, a vida é bela. Se você souber como viver. Eu ainda estou aprendendo e desde que eu comecei a perceber isso as coisas melhoraram consideravelmente. Aprendi que reclamar não adianta se você não fizer nada. Aprendi que sempre há problemas piores que os seus, mas que isso também não é desculpa para ignorá-los. E finalmente percebi que nem tudo dura para sempre. Nem aquilo em que você mais acreditava.

Eu espero cumprir meus objetivos em 2011. Dessa vez porque eu estou flutuando um pouco mais perto do chão e porque eu estou planejando. Sei que nem sempre as coisas saem como se planejam, mas não custa arriscar. Espero que o próximo ano seja bom para todo mundo. É claro que podemos contar com altos e baixos, mas realmente quero que a quantidade de altos seja maior.

Passei na prova que fiz para Marinha em décimo oitavo lugar. Isso me deu forçar para continuar e acreditar que meu futuro realmente pode ser bem melhor. Que eu tenho a chance de fazer a diferença na minha vida. A chance que muitas pessoas não têm e eu com certeza não vou desperdiçar. E mesmo que o processo ainda seja longo, eu terei paciência e nunca vou parar de tentar.

Espero que todos tenham um excelente ano e que consigam realizar seus sonhos. Espero que consigam equilíbrio e paz. Que consigam bastante dinheiro. Pros que desejam, espero que consigam encontrar o verdadeiro amor. E pros que não querem, espero que consigam trepar com o maior número de pessoas que conseguirem. USHAihsiUAS...

E eu decidi que não vou acabar com o blog. Ele me causou muitos problemas, mas também me ajudou muito. Estamos juntos no próximo ano! Aí vem a Terceira Temporada!!

Feliz Ano Novo!!

sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

Espírito de Natal


O primeiro Natal do qual eu tenho lembranças foi realmente mágico. E eu era tão inocente que fazia todas as tradições para ganhar o presente do Papai Noel. Eu era tão inocente que acreditava em Papai Noel ainda. Eu acho que nesse natal eu tinha três anos e foi tudo tão perfeito. Todo o cuidado que meus pais tiveram para colocar o presente na árvore depois da meia noite sem que eu visse. E coincidentemente um rastro de luz passando no céu e eles aproveitando e me dizendo que era o Papai Noel passando muito rápido para presentear as outras crianças.

Esse foi, sem dúvida, o meu melhor Natal. Desde então todos os natais foram perdendo a graça com o passar do tempo. Principalmente depois que eu descobri que Papai Noel não existia e que era meu pai quem comprava os presentes. Nos último três Natais, as coisas foram tão diferentes que eu senti como se fosse um dia tão comum como qualquer outro.

E então é assim que acontece mesmo? Você vai crescendo sem perceber e as coisas vão perdendo o sentido? Você vive na esperança de presenciar apenas mais um dia sem levar uma lâmpada no rosto ou um tiro na barriga. Vive rezando para que não seja demitido do trabalho e poder pagar todas as suas contas sem problemas ou então que algum parente seu ou até mesmo alguém que você ame muito como um amigo não morra subitamente.

Eu queria sentir de novo aquilo que eu senti quando tinha três anos. Eu queria poder viver apenas mais um dia como se não houvesse preconceito ou qualquer tipo de diferença. Um dia no qual não houvesse brigas. E apenas um dia para me sentir próximo de alguma forma da minha família. Sem sentir medo por ser o que sou... Por ser quem eu sou...

E então eu passarei o primeiro Natal da minha vida sozinho. Sentindo inveja de todos os meus amigos que vão passar com suas famílias. Sentindo inveja da minha sobrinha que ainda pode sentir o espírito de Natal da mesma forma tão inocente que eu sentia.

Eu desejo que esse ano seja diferente para todos os que têm passado por situações difíceis. Espero que todos consigam esquecer seus problemas nessa noite e que consigam sentir o espírito de Natal mais forte do que jamais sentiram. Ou pelo menos tão forte quanto o do Natal preferido de vocês.

Ѽ
Feliz Natal
Feliz Navidad
Merry Christmas

sábado, 18 de dezembro de 2010

Academia, Elsinho e Amigo Oculo


Finalmente encontrei a chave que abre a porta da minha motivação. Não sei exatamente o que aconteceu, nem como aconteceu, mas eu vou voltar às minhas atividades físicas logo no início de janeiro. Acho que foi o papo sobre anabolizantes com o pessoal lá do trabalho. Ou simplesmente o clima de verão que está me dominando. Gente, o mundo acaba em dezembro de 2012! Eu tenho que ficar bonito até lá. Não posso deixar acabar assim. Isso é um absurdo! USHIAHisHAS...

To brincando, é claro. Na verdade deve realmente ter sido o papo sobre academia lá no trabalho. Ou então minha lembrança de quando eu fui comprar roupas de fim de ano em 2009. Esse ano, como eu engordei um pouco de novo, eu achei que nem todas as roupas que eu comprei ficaram boas no meu corpo. Então quero recuperar aquela boa forma. Única e exclusivamente para voltar a me vestir bem de novo. Sei que a saúde é importante, mas nesse caso não vou negar que a estética é meu objetivo principal.

E eu sei que falta um pouco, mas isso também já vai servir para o carnaval. Ahh! Eu contei pra você? Ahh, claro que não! Enfim... Eu vou passar o carnaval sozinho aqui em casa também. Meus pais vão viajar e eu não quero ir com eles pra uma casa onde só vai ter velho e não vou ter nenhum amigo pra sair ou me fazer companhia. Ou seja: VAI ROLAR PUTARIA!!

Aos poucos meu lado Sasha Fierce está voltando. A última Jukebox me fez ver que eu ainda posso arrasar quando quero. É muito boa aquela sensação que você tem de ir passando e ver as pessoas te alisando e te puxando pra beijar. O chato é ter um amigo pra te puxar de volta (Elsinho).

Falando em Elsinho, eu fiquei muito triste em saber que o pai dele faleceu essa semana. Não pude estar com ele nesse momento que deve ter sido tão difícil pra ele. E pra família também. Eu lembro até agora da twittada que ele deu: “Imaginem a sensação de escolher o caixão do seu pai!”. Aquilo me deu uma dor no coração. Eu espero que o senhor Elson Melo esteja em paz de espírito agora porque todo o sofrimento que o câncer estava causando já passou. Espero que o Elsinho encontre o conforto do qual precisa e espero que ele saiba também que pode contar comigo sempre que precisar.

Enfim, mas mudando um pouco de assunto, na última quinta feira teve um amigo oculto lá no trabalho. Do qual saí de lá com uma linda caneca de cerâmica vinda do bofe que eu queria pegar. Ele ta realmente disposto a reacender a chama! Mas agora quem não quer sou eu. Vou mostrar que sou diabético e que não gosto de “glicose anal”. Eu sei que fazer charme é até legal no processo de conquista. Torna as coisas mais emocionantes, mas do jeito que ele fez até me fez perder a vontade.

O pior foi depois que me fizeram ficar no bar pra beber com eles. William me embebedou e me fez fazer coisas que eu não faria normalmente. Tipo, dançar forró com a mulher lá que ficou dando em cima de mim. E ainda beijei a mão do meu chefe na hora de ir pra casa! Isso foi mais engraçado ainda! Espero ter cara pra voltar segunda feira, porque agora minha vontade é arrumar outro emprego.

Enfim, esse foi o meu balanço geral. Obrigado a todos pelos coments de aniversário. E obrigado também aos que não comentaram (não sei porquê, mas obrigado). Sinto a magia do verão começando a se apoderar de mim. E esse ano vai ser bafônico! Ainda mais agora que acabei de lembrar que mês que vem é meu aniversário e que eu vou fazer 19 anos. Parece que foi ontem que eu fiz 18! Que droga! Melhor eu começar a mentir minha idade. Quando mais cedo melhor! ;)

XoXo

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Ѽ Happy B'Day Confessiones em Blog



Olá pessoans! Como vain? Tudio bein?! Tó ótchiman!! USAIhsiuahIshiUAs... Sempre quis escrever em viadês. Eu até costumo escrever, mas só no MSN. Então pra começar o post de Aniversário do Confessiones em Blog, nada melhor do que uma bixisse bem digna.

Nossa, parece que foi ontem que eu comecei esse blog. Pra quem não conhece a história, eu comecei a escrever pensando em contar como seria a minha vida e do meu namorado (da época) o Portillo. Naquela época eu era MUITO tolinho e acreditava que seria para sempre. Nossa, eu era tapado mesmo. Como um adolescente de 16 anos acha que vai passar o resto da vida com alguém? (ainda quero saber como a minha amiga noivou com o namorado do Ensino Médio)

Sem ressentimentos do Portillo, é claro. Foi muito divertido namorar com ele. Pelo menos os primeiros meses. Depois que as coisas foram ficando chatas e meio dramáticas, mas no geral foi legal. E sem falar que eu ainda era “virgem” naquela época. Foi divertido. O Matagal... xD

Ѽ Como as coisas andam.

E então logo depois veio o Edward e me tirou da “depressão” pós Portillo. Ai o Edward foi tão intenso e tão mais sério que o Portillo. Ele até me apresentou à mãe dele. Por isso eu não entendo até hoje porque ele fez aquele circo todo se não gostava de mim.

Ѽ A new love!

Bom, na verdade quem fez circo fui eu. Foi estranho ficar naquele estado de tristeza vegetativa sem vontade de fazer nada, falar nada ou ficar com ninguém. Eu sentia dor e vazio o tempo todo. Acho que o pior foi a dor da perda de tudo que eu imaginara sobre como seria nosso futuro juntos. Com certeza aos 17 anos também não dá pra você escolher com quem quer passar o resto da sua vida.

E também teve os relatos da minha primeira parada gay e da primeira vez que encontrei o Edward depois de toda aquela confusão. Eu me senti livre pela primeira vez na vida. Não só por não sentir mais nada por ele, mas por ter crescido um pouco por dentro e também por ver que há milhões de gays vivendo vidas normais e felizes por aí.

E também teve a minha formatura no Ensino Médio. Acho que aquele dia foi o mais marcante da minha vida até hoje. Foi a última que estivemos quase todos juntos (a Puta da Paola e o Arrombado do Thiago não foram à própria formatura... ¬¬*).

E então eu fui jogado no mundo dos adultos sem ao menos ser apresentado. Sonhei tanto em trabalhar e meu primeiro emprego foi uma merda. Bati muito de frente com minha chefe e ela se empenhou em fazer da minha vida um inferno. Isso fez com que eu pedisse demissão. Foi assim que eu aprendi como as coisas funcionavam no mundo dos adultos. E então eu mesmo iniciei o projeto de mudança.

E teve também o tempo em que fiquei desempregado. Foi o momento mais difícil desse ano para mim. Eram brigas todos os dias aqui em casa. Minha mãe exigindo que eu fizesse alguma coisa e começasse a viver de aparências e eu querendo ter um tempo de vagabundagem. Na verdade, um tempo onde eu pudesse me conhecer realmente e saber o que eu queria para minha vida.

Esses assuntos foram o que mais marcaram minha vida nos últimos dois anos. E realmente fiquei fez vendo o quanto mudei nesse tempo. E fiquei mais grato ainda por ter o blog para registrar. E gostaria de agradecer a cada pessoa que já leu este blog, tendo comentado ou não. Muito obrigado por tudo.

“Y aquí no habrá corazón que te entregue su amor a la hora que quieras! Ya no tendrás mi pasión, díle adiós al calor que un día te diera! Ya te me puedes ir. No hay más que discutir. Ya no te quiero. Ya no, ya no...”
Dulce María – Ya No

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Christimas is Coming!


Olá meus caros leitores. Como estão vocês? Espero que bem e em clima de Natal. Esse ano será um pouco diferente pra mim. Eu passarei o Natal sem família. Não passarei sozinho, mas com certeza sem família. Meus pais resolveram ir pra casa da minha irmã de novo e eu não quero ir praquele fim do mundo novamente. Quem quer entender porquê é só clicar aqui e ler este post sobre o natal de 2008.

E foi recapitulando este post que eu lembrei que meu blog completa dois anos daqui a 6 dias. É claro que eu também aproveitei para dar uma lida no que eu escrevera há quase dois anos. Nossa, meu estilo de escrita era incrivelmente pobre e repetitivo (ainda amo um QUE). Não mudou muita coisa, mas um pouco, pelo menos, eu mudei. Eu contava as coisas de forma tão pausada e parecia que as histórias nunca evoluíam.

Sem falar dos erros ortográficos que ainda ocorrem, mas com uma freqüência bem menor. Procuro repetir menos algumas palavras e me focar mais no tema central e na mensagem que quero transmitir. Não sei de onde tirei essas dicas, mas elas têm me servido já faz algum tempo. Enfim... Vamos voltar ao que interessa.

Amanhã minha mãe completa 47 anos de vida e 28 de casada (Deus é mais...). Sabe de uma coisa? Reler este post sobre o meu natal com 16 anos me fez pensar o quanto eu mudei. Eu era um adolescente muito desmiolado e rebelde. Nunca estava satisfeito com nada e qualquer coisa era suficiente para me tirar do sério. Eu gosto de ler uns posts antigos e notar as sutis mudanças que sofri.

E toda aquela paixão pelo Portillo que eu sentia. Pensando que seria eterno. E eu me lembro do Edward também, que foi mais forte ainda. E então eu chego ao Renato. Acho que o meu namorado mais legal em todos esses anos e sem dúvida o único que não me fez sofrer. E eu sinto vontade de estar com ele a cada dia que passa, mas eu sei que não tem como dar certo. Pelo menos não agora. Sei que ele não lê mais este blog, então estou seguro escrevendo isso.

Eu reescrevi um e-mail umas três vezes pedindo pra voltar com ele. Desculpando-me por ter sido um idiota e logo em seguida apaguei. Eu tenho que ter força de vontade. A minha decisão de terminar não foi tomada com base na emoção e sim na razão. Apenas amor não basta. Uma vez eu ouvi que se tiver que ser vamos nos encontrar novamente e vamos poder ser felizes, mas talvez esse realmente não seja o momento.

Embora eu tenha mudado consideravelmente desde os 16 anos, ainda tenho aquele pensamento jovem de liberdade e curtição. Tenho minha impertinência imperando minha personalidade e meu jeito rabugento de ser. Pena que eu não posso trocar de signo, senão seria leonino!

E difícil será o Reveillón que eu planejei e idealizei tanto sobre como seria passar com ele. Talvez um dia esse momento se realize. Tudo que eu sei é que neste momento ele está livre e feliz. Vivendo a vida dele e talvez ele até conheça alguém que o mereça bem mais do que eu merecei. Pelo menos eu sempre soube do valor que ele tem. Espero que o próximo saiba também.

E então é isso pessoal. Muito provavelmente vai rolar um bacanal aqui no Natal. Estão todos convidados. É só trazer camisinha e seu parceiro. Ele é pessoal e intransferível (sempre quis dizer isso). Nos vemos no dia 15 de dezembro que é quando meu Blog completa dois aninhos de vida e talvez eu faça um especial com meus posts mais legais. Ou talvez eu adie esse post pro dia 16 que é quando sai a lista de convocados para os exames físicos da marinha. Beijos.

Candy

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Caos no Rio, sentimentos e ansiedade


Parece que as coisas estão se acalmando aqui no Rio de Janeiro. Na última semana eu só trabalhei dois dias por causa dos ataques que estavam acontecendo. Diga-se de passagem, que a onda de ataques não foi nada diferente do que eu já presenciei há uns anos. Só que naquela época, a quantidade foi menor.

Todos com quem eu comentei sobre isso, disseram que dessa vez foi muito pior, mas eu achei exatamente a mesma coisa. Acho que a mídia influenciou demais e aqui todos os canais exibiam vinte e quatro horas a operação de tomada do morro ao vivo. Na verdade foi bem chato. Houve uma época no Rio onde não podia morrer um bandido que eles tacavam fogo nos ônibus. É essa a época a qual me refiro.

Mas graças a Deus tudo já está voltando ao normal. Os moradores do morro poderão ficar mais tranqüilos e poderão começar uma vida sem as más influencias do meio. Eu reclamo horrores da minha vida, eu sei, mas quando paro pra pensar que há pessoas que passam por situações piores, eu até agradeço por tudo que tenho e durante esses poucos minutos de reflexão eu deixo de ser idiota.

E não só o Rio de Janeiro está acalmando, mas eu coração também. Recentemente escrevi um e-mail para o Renato e disse tudo o que eu gostaria. Não creio que vai mudar muita coisa, mas pelo menos fez com que eu me sentisse mais leve. As vezes eu sinto vontade de voltar, mas eu me controlo. Justamente por meu término ter sido uma decisão pensada.

Sabe quando você tem um daqueles momentos “oh oh”? Onde percebe que aquilo vai se repetir pelo resto da sua vida. Então... Depois de pensar muito eu concluí que nós éramos muito diferentes e que só o sentimento que um tinha pelo outro não bastava. Havia amor, carinho, amizade. Mas interesses diferentes. Ele era tão necessitado de carinho e atenção constante e também dono de um ciúme sem fundamento. Eu por outro lado já sou mais independente de maneira sentimental. Não gosto muito de grude e sou bem insensível as vezes.

Todavia, nenhum amor morre, sempre se transforma. Esse vai se transformar numa linda amizade. Da mesma forma que aconteceu com Portillo e Edward. E não tem sido só no meu término que eu tenho pensado. Sou tomado por uma ansiedade desvairada quando lembro da prova que fiz pra Marinha. Finalmente o gabarito saiu e das cinqüenta questões da prova eu acertei trinta e uma.

Pode até parecer que são poucas, mas são mais do que suficientes para me colocar na lista de convocados. Todavia ainda tenho que esperar a nota da redação. Essa tem me deixado bem mais preocupado, uma vez que cometi deslizes gravíssimos na dissertação. Gente, eu sei que não escrevo tão para tomando como padrão uma pessoa de dezoito anos. Mas eu fiz pequenas merdas! Suficientes para me deixar com uma média baixa na redação. Eu coloquei o título todo com letra maiúscula (minha mão não me obedeceu e quanto eu percebi o que tinha feito entrei em desespero). Depois quando passava a redação à limpo, acabei cometendo três rasuras.

Espero não estar tão ferrado, porque eu realmente ficaria lindo com a farda da Marinha e seria o passo mais importante na minha independência. Imaginem um moreno bem alto (1,90m) fazendo strip com aquela farda! Então, esse serei eu (espero). E espero até o final do próximo ano já estar morando sozinho. Mais tarde vou começar a correr e a me preparar para o exame físico. Então... Desejem-me sorte.

terça-feira, 23 de novembro de 2010

Espero que meu coração volte


Depois do que me aconteceu com Portillo e Edward fiquei sem muito entusiasmo para namorar novamente. Meio que desenvolvi medo de relacionamentos. Na verdade, não creio que tenha sido um medo, mas uma aversão. É como se agora eu conseguisse enxergar como as coisas devem funcionar e não concordasse com nada disso.

Eu não concordo com o fato de ter que mudar por alguém, por mais que você ame aquela pessoa. Jamais mude sua natureza, isso te leva à morte. E as cobranças são constantes num relacionamento. Seu tempo tem que ser dividido. Não consigo mais me ver namorando, porque sou uma pessoa extremamente egoísta.

Esse fim semana acho que acabei terminando com a primeira pessoa que me amou de verdade. O Renato foi a pessoa que mais me demonstrou paciência, carinho, amor, atenção, preocupação do mundo, mas talvez não tenha funcionado porque eu não estava na mesma sintonia, mesmo amando MUITO!

Eu tentei lutar contra esse meu medo/aversão, mas não consegui. A cada dia que passava as cobranças aumentava e eu voltava a ver, bem ali na minha frente, tudo aquilo que eu não gostava em um relacionamento. E acabei jogando pela janela o que poderia me trazer um futuro feliz e sem decepções.

Eu falei pouco sobre este relacionamento aqui, mas foi porque eu aprendi a ser reservado, apenas isso. As vezes a exposição trás muitos problemas. Não me importo mais de falar, porque, infelizmente teve que acabar. Por minha culpa! Eu sei que o que eu desperdicei, alguém vai aproveitar e eu vou me arrepender. Sei que ele vai superar isso logo porque é forte. Além disso, a distância (RJ/SP) era uma pedra no nosso caminho.

Meu coração se foi. Viajou por uns tempos. Porque eu me coloquei nesse estado de torpor e insensibilidade, mas não estou reclamando. Não sentir é a melhor coisa do mundo. Não há dor. Não há sofrimento. Agora eu percebo o quanto isso é benéfico. Mas eu sei que não vai durar pra sempre. Um dia meu coração volta.

Vocês sabem que os amo. XoXo Candy

sábado, 20 de novembro de 2010

Harry Potter pt. 1



Quando eu tinha 9 anos de idade era o exemplo perfeito de garoto deslocado e desajustado. Eu não sei no que vocês acreditam, mas eu acho que nasci homossexual. Desde a minha primeira lembrança eu sei que já senti alguma coisa por garotos. Desde muito pequeno embora isso pareça estranho.

Então eu não tinha muitos amigos. Não gostava de brincar com garotos porque eles eram muito idiotas (e até hoje eu acho). E as garotas não queriam brincar comigo porque as mães não deixavam-nas brincar com meninos. Até que um dia, ele veio parar na minha vida e eu entrei num mundo onde tudo era possível. Onde havia amizade verdadeira. Onde os problemas reais eram esquecidos.

Quando eu comecei a ler Harry Potter, o primeiro filme ainda não tinha lançado. Eu sabia muito pouco sobre a série, mas eu me lembro de nunca ter demonstrado um interesse tão grande por qualquer outro livro em toda minha vida. Harry Potter foi meu refúgio e amigo durante anos e com o passar dos anos, consegui muitos amigos graças a essa fantástica história a qual os filmes não fazem jus.

Aos 11 anos já haviam lançado dois filmes e eu estava em puro êxtase (e decepcionado por não ter recebido minha carta de Hogwarts). Uma das amizades mais queridas e mais fortes que eu tenho se deu por causa de Harry Potter. Eu era tão viciado (ainda sou) que alugava a Pedra Filosofal todo fim de semana, porque eu gamei nesse filme. Na verdade, nunca havia lido esse livro completamente até o ano passado, quando consegui realmente adquiri-lo.

Harry Potter e o Cálice de Fogo foi o primeiro livro que eu comprei e li completamente. Até hoje considero o melhor livro. Ainda havia inocência na história, embora o mal já começasse a operar por baixo dos panos. Mas foi um dos filmes mais decepcionantes, por ter sido tão pouco fiel ao livro. Esse lance de troca de diretores fez com que cada filme tivesse uma estética e uma narração diferente, de forma que apenas a Câmara Secreta e a Pedra Filosofal fossem os únicos filmes de Harry Potter, realmente.

Em 2007 eu comprei Deathly Hallows! Sim, em inglês mesmo! Eu tinha apenas 15 anos, mas estava crescendo com Harry Potter, eu tinha que saber o que aconteceria com o garoto e não consegui esperar a tradução do livro sair. Eu li aquele livro enorme, em inglês e em apenas dois dias (é claro que com o auxílio de um dicionário). E foi aí que tudo acabou. Me sentia vazio. Deprimido.

Eu fiquei bem triste umas duas semanas. Não queria fazer nada. Eu só pensava no quanto aquilo estava me afetando. A notícia de que ainda faltariam 3 filmes para acabar (Ordem da Fênix, Enigma do Príncipe e Relíquias da Morte) não conseguia me consolar, porque eu sempre achei os livros totalmente diferente dos filmes. Eu sempre gostei mais de lê-los. Mas depois de um tempo eu consegui superar.

E eu lembro o quanto fiquei feliz quando soube que Relíquias da Morte seria dividido em duas partes. Seria, de longe o filme mais fiel de todos e eu comprovei isso às 22hrs de ontem (19/11/2010). Assisti à estréia como fiz com todos os anteriores desde o Cálice de Fogo (quando tive idade pra começar a ir ao cinema sozinho rsrsrs).

Foi o melhor filme de Harry Potter que já fizeram e sem dúvida o mais fiel. Eu pretendo vê-lo de novo na segunda feira. Assim como o filme foi dividido em duas partes, esse post também será dividido. Tudo tem que acabar ao devido tempo e no próximo, tentarei fazer com que vocês entendam porquê eu amo tanto essa saga.

... Continua ...

terça-feira, 9 de novembro de 2010

Prova



E então o dia finalmente chegou. Eu mal consegui dormir essa noite por culpa da Alessandra que transferiu o medo pré-prova dela para mim. E a cada quarenta minutos aproximadamente eu acordava despertando de um pesadelo referente à prova. E foi às 5:30 da manhã que eu finalmente despertei com os berros exagerados do meu pai dizendo que ia me atrasar. Isso porque o local da prova ficava a uns 30 minutos de casa (contando com engarrafamento) e os portões abriam às 7:30 e fechavam às 8:30. Então finalmente depois de uma discussão por causa do ataque de estrelismo do meu pai, eu saí de casa acompanhado por ele e consegui encontrar com Alessandra e toda galera do curso no trem. Fui recebido ao som favelado de funk e pessoas suadas e fedorentas logo pela manhã. Quando chegamos a Engenho de Dentro, descemos e vimos que o exterior do estágio João Havelange, mais conhecido como Engenhão, estava lotado. Muitas pessoas que estudaram durante todo o ano para estar ali. Outros tentando pela terceira, quarta vez... E eu ali na minha primeira tentativa. Muito mal preparado em comparação aos outros. Então eu entrei e segui caminho diferente com a maioria do grupo. Alessandra ficou em um setor diferente do meu (ordem alfabética dããã). E demorou mais de uma hora e meia até que a prova começasse. Houve um pequeno problema com a distribuição dos lugares e do cartão de resposta. Assim como as respectivas provas que deveriam ser corrigidas de acordo com a cor do cartão. Problema resolvido e a voz começou a ditar as regras para a prova no megafone. Em seguida um estrondoso eco fez com que se originasse um rebuliço sobre o tema que fora citado para a Redação. Ninguém entendera, então tiveram que exibir no telão do estádio. E então a voz doce e feminina, rugiu: “Início da Prova”. E foi quando eu finalmente a abri e li. A primeira vista não parecia difícil. Comecei fazendo todas as questões que sabia. Depois enrolei nas que sabia mais ou menos e logo chutei todas as que não sabia nada. Não estava difícil, realmente, mas nunca senti tanto ódio de mim por não ter estudado como se devia. O mal é achar que a sua fórmula sempre dará certo, mas se é comprovado que existe um meio para passar nesses concursos, por que você não segue as ordens? Quer provar que você sabe fazer o melhor? Mas você não sabe! Esse é o problema. Você tem que escutar as pessoas quando elas falam. Eu estudei, não nego, mas não tanto quanto deveria, senão eu teria feito a prova mais fácil de toda minha. Ah, e nem vou comentar os deslizes que fiz na redação. Nada muito grave, só umas duas ou três rasuras. O suficiente para não ser classificado. E no final da prova, transformando a tenção em humor, solto a pérola.

“Nem me importo, a farda da Aeronáutica é mais bonita mesmo.”

Então já sabem pra que venho estudando esse tempo todo. E não vou desistir. Essa foi a primeira tentativa. E no primeiro dia de aula minha professora disse. Pra concurso público, você não estuda para passar, estuda ATÉ passar. E depois seguimos para o shopping para comer uma pizza e descarregar a tensão (que não funcionou muito bem).

XoXo
Candy

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Announcement

Olá caros leitores. Como têm passado? Espero que bem. E eu? Ah! Eu estou ótimo, obrigado. E hoje venho por meio deste fazer um anúncio oficial. Uma coisa que venho pensando há algum tempo, mas que não queria aceitar, devido a carga emocional que tal assunto me trás. Eu decidi que encerrarei o meu blog até o final deste ano. Foi uma decisão um tanto dolorosa, mas minuciosamente pensada.

Um dos motivos pelo qual decidi tomar essa decisão foi a falta de confiança que tenho tido em postar aqui. Por diversas vezes arquivei posts e os lacrei com senha porque não tive mais coragem de postar aqui. Há um tempo eu deixei meu endereço vazar através do Twitter (muito burro, eu sei) e várias pessoas começaram a freqüentar o meu blog. Ele me causou uma série de mal entendidos e com o passar do tempo eu fui me inibindo. É como se eu não tivesse mais privacidade.

E então vocês dizem: “Mas se você quer privacidade, então por que escreve num blog?!”. A questão é que é muito mais fácil contar coisas pra quem você não conhece do que pra quem você conhece. Eu não tenho facilidade para expressar meus sentimentos com meus amigos e muito menos para me comunicar verbalmente. Todo dia é uma batalha contra isso. Eu tento sempre melhorar minha comunicação com todos à minha volta, mas ainda há coisas que eu não gostaria de compartilhar com meus amigos.

Não é que eu não confie neles nem nada do tipo. É que são coisas pessoais, apenas isso. E sem falar que muitas vezes rola o medo de ser julgado por eles. Não adianta dizer que quem é amigo de verdade não julga. Isso é uma completa mentira. Então eu prefiro deixar algumas coisas em off e seguir com a minha vida. Sem falar dos problemas que esse blog mesmo já me causou com outros amigos na época do colégio.

É vivendo e aprendendo, pessoal. E não se preocupem, porque eu provavelmente não finalizarei minha vida blogayra, apenas encontrarei um cantinho novo e só meu para descarregar minhas frustrações, medos, paixões e inconstâncias. Um lugar onde eu não tenha medo de ser completamente eu e consiga aprimorar minhas habilidades ortográficas (isso sem dúvida precisa ser melhorado #fato).

Obrigado a todos que acompanharam meu blog nesses (quase) dois anos e esperem porque essa será a temporada final. Mas uma nova série sempre começa e espero contar com a presença de todos vocês na nova série da minha vida. Muito obrigado, novamente.

Um Beijo!!

PS: Não se esqueçam de que continuarei até o final do ano! E não percam os Season Finales desta minha etapa.

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Cap. 1 - Desejo Ѽ

Ѽ Eu só queria saber por que ele não parava de olhar para mim! Aquilo me irritava profundamente a mesma maneira que me despertava curiosidade. Era como se ele fosse capaz de ler todos os pensamentos que eu já tivera acerca de nós. Como se aqueles olhos pudessem penetrar meu âmago e ter acesso às cenas mais perversas sobre beijos quentes e apertões apaixonados trocados às escondidas.

Contudo as semanas passavam e nada mudava. Os olhares ficavam cada vez mais intensos e a incerteza dosada ao medo se apoderava de mim. E sentado, defronte à sua mesa distanciada no escritório, despertei novamente em um devaneio quase real. Onde eu podia sentir o calor emanando do seu corpo e seu hálito tão próximo que pude degustar.

Eram mágicos esses momentos quando chegavam. E tudo sempre começava da mesma forma. Um leve toque no rosto com suas macias mãos grossas. Mãos de homem! Não as de qualquer homem, mas suas mãos. Sempre começando pelo meu rosto enquanto aquele olhar castanho penetrante me perfurava roubando-me todo o ar e pensamentos. Amortecendo meus sentidos.

A verdade? Sempre gostei de homens com barba. Acho que deixa o sorriso oculto. E sim, um excelente comentário acerca de sorriso. O seu não era um comum, como se vê em novelas e filmes. Era um sorriso singular não tão perfeito, mas que se fazia assim justamente pelo fato de ser único.

Mas retornando ao ato, eu podia sentir a respiração tão próxima que dava para tocar sua pulsação através do doce hálito de hortelã. É claro que ele andava com um pacotinho de balas por perto para esse momento, porque, inconscientemente, ele sabia o meu sabor preferido. Até que finalmente me deixava sentir o sabor de seus lábios. Sua saliva recém refrescada misturando-se a minha. Tornando-se quente e luxuriosa.

E então as mãos começavam a explorar os corpos ainda cobertos pelas roupas de trabalho. Não haveria tempo para tirá-las naquele ambiente, porque a qualquer momento alguém poderia aparecer. E era o perigo que mais me excitava. Isso e o fato de sentir seu membro rijo comprimindo-se ao meu enquanto eu arfava e rompia as barreiras do desejo beijando seu pescoço. Mais uma parte que eu sempre gostei.
E embora sempre tenha venerado toda a masculinidade, nunca gostei muito de me sucumbir a ela. Prefiro feri-la e aproveitá-la. Não me deixar dominar, mas dominar homens tão bons quanto este em particular.

O beijo é o nosso único possível mesmo nesse meu mundo de sonhos, porque até nesse paralelo, existe o medo de sermos descobertos. E será que é por isso que não fala comigo? Tem medo que eu descubra algo tão íntimo seu ou que outros descubram? Não tens medo de me ignorar cada vez que cruzamos o corredor ou cada vez que tento deixar um sinal, mas porque continua me olhando?

Já não é suficiente ser torturado pelas minhas fantasias mais insanas enquanto relembro a cada segundo que jamais poderemos ser completos enquanto amantes? Agora tenho que ser torturado também pelo seu olhar traiçoeiro. Tenho que viver cada dia perguntando por que só me olhas, mas não toma atitudes. Se é medo, então digo que és covarde. Se é escárnio, então digo que sinto pena de ti por caçoar um pobre leproso sentimental como eu e permitir-me cultivar tantos devaneios importunos. Se é recíproco, então digo que está perdendo tempo deixando que eu me divirta sozinho com minhas alucinógenas e solitárias fantasias.

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Pensamentos da Madrugada

É, finalmente minha época preferia chegou: o fim de ano. Eu sei que vocês pensam que ainda estamos em outubro e que ainda tem muita coisa pra rolar, mas para mim esse é o momento de resolver todas as pendências e não deixar nada passar para o próximo ano. É tempo de concentrar todas as energias em resolver tudo para fazer o ótimo season finale.

Eu tenho vindo muito pouco, porque ainda continuo estudando. A impaciência não sumiu, mas diminuiu um pouco. É chato ter que esperar, mas não há outra maneira. Uma vez ouvi dizer que os jovens são sempre assim. Mas seria uma verdade no geral ou é apenas comigo?

Ontem foi domingo e tive um simulado no curso. Não estava difícil, com certeza não, mas eu não estudei adequadamente para, então tenho certeza que não fui muito bem. Acho que o índice de questões chutadas foi maior do que o normal. A prova pro meu concurso é só no meio do próximo ano, mas terá uma prova intermediária agora em novembro. Só estou fazendo por experiência, mas se eu passar... Bom, não preciso nem continuar.

A situação no trabalho tem estado bem... Interessante. Tem um cara muito legal por quem tenho andado interessado, mas acho que ele não demonstra o mesmo interesse por mim. A final, ele é bem mais velho que eu, bem resolvido, tem uma carreira... O que poderia querer com um garotinho como eu? (baixa auto-estima atacando)

Em contrapartida, as vezes você vê a pessoa que teria menos motivos para te ajudar ali do seu lado te apoiando quando você mais precisa. Eu insisto em dizer que deve ser um erro da parte dele. Que ele é doido e que eu não valho a pena, mas eu também tenho que entender que o coração é quem escolhe e não o cérebro. Eu mesmo sou completamente capacitado para entender isso.

E então nas duas últimas madrugadas eu me peguei com medo. A conversa que tive com o cara do trabalho (vamos chamá-lo de Eli) me fez pensar coisas que estavam guardadas no fundo do baú. Ele me fez pensar na vida das pessoas que estão ao meu redor e me fez ver como tudo está estagnado. E eu senti medo das coisas não darem certo na minha vida e eu acabar como a maioria das pessoas que conheço.

O estranho foi que nunca pensei em nada desse tipo. Espero que isso não se torne meu novo medo obsessivo. Mas eu duvido que ocorra, porque ao contrário de todas as minhas outras inseguranças, eu sempre soube que teria sucesso na minha vida e já me conformei que ele virá, não importa o tempo que demore.

A notícia boa é que eu estou mantendo a dieta. Já perdi aquela vontade louca que eu tinha de comer a toda hora e estou conseguindo controlar melhor o que eu tenho comido. É muito bom você estar no controle das coisas. É como se você sentisse o poder que realmente tem e exerce no universo. (pensamentos loucos de quem foi dopado)

E então é assim que vai ser. Todos sabem que não há uma pessoa que goste mais de fazer um retorno do que eu (aprendi vendo Gossip Girl). As vezes você precisa passar por coisas ruins para lembrar o quanto algumas coisas são boas. E precisa provar o caminho mais difícil para saber o quanto o sabor é bom. Coisas fáceis todo mundo consegue, mas só quem é realmente bom consegue fazer o inusitado. Então esse foi meu post de atualização. Esperem por mais um retorno.

It’s Candy, Bitch!!
XoXo

PS: Estou escrevendo meu primeiro conto de verdade, aguardem.

sábado, 9 de outubro de 2010

Impaciência

Quando eu era mais novo, pensava que quando fizesse dezoito anos tudo seria como num filme americano. Eu me formaria, ia pra faculdade já com um emprego e moraria sozinho. Ou talvez em uma república com meninos que gostassem de festas e curtição. Em resumo, eu pensava que a vida realmente começasse aos dezoito anos. Eu acho que demora um pouco mais. Mas a questão é: Ainda falta quanto?

As vezes eu sou invadido por um sentimento de impaciência e inquietação quando lembro que a prova pro concurso que vou prestar é só no meio do ano que vem. Eu percebo que perco muitas coisas legais no momento e isso está me deixando bem frustrado. A falta de dinheiro, de liberdade, de vida juvenil descentrada e louca! Isso tudo me deixa impaciente demais. Esse feriadão, por exemplo, devia ter sido o feriadão da perdição se eu já estivesse trabalhando sério. Mas a falta de dinheiro fez com que eu tivesse que ficar em casa, mais uma vez estudando – porque além de tudo, ainda tenho um simulado AMANHÃ (domingo).

Ainda tem a questão do SE. SE eu passar na prova! Imaginem SE eu perder todo esse ano estudando e no final das contas não passar na bendita prova? Eu acho que tenho um surto. Talvez eu chore como nunca chorei tanto na minha vida. Ai é muito ruim ser tão jovem assim e não poder curtir o pouco que a vida tem a me oferecer no momento. Cada oportunidade que já perdi... Cada pessoa legal que perdi a oportunidade de conhecer. Isso tudo é bem chato.

Bom, isso foi só um surto de impaciência que eu tive. Espero que agora minha mente entre em ordem novamente. E hoje eu já posso definir o tema da segunda temporada deste blog. Trata-se de crescer e a forma como eu tenho lidado com isso. Tenho percebido que não é fácil. Que a vida no colégio era muito mais segura e feliz e eu reclamava de barriga cheia. Agora as pessoas esperam que você dê conta de algumas coisas e você é analisado pela forma como se sai.

Eu acho que posso lidar com isso. Ta sendo difícil, mas eu estou aprendendo pouco a pouco. Eu só espero que, pelo menos até os vinte, eu já tenha conseguido atingir meus objetivos, do contrário desisto de tudo e vou trabalhar no McDonalds. XD

sábado, 2 de outubro de 2010

Britney, Alterego e Sexo

Assumindo na cara-de-pau que fui influenciado pelo último episódio de Glee (BrittanyBritney) e passei toda última sexta feira ouvindo a trilha sonora da loira, o que me levou a pensar em outras coisas como meu alterego que anda tão sumido quando minha abstinência de sexo anda presente. É impressionante como uma coisa acaba ligando a outra.

No episódio de Glee eles dizem que a Britney é uma mulher independente que mesmo depois de ter passado por todos aqueles problemas ela conseguiu se reerguer e ainda afirmaram que suas músicas podem funcionar como escape para quem precisa relaxar. Verdade. Pelo menos eu achei. Passei minha sexta feira ouvindo todos os antigos sucessos da loira e isso causou tal efeito em mim que até em cima do cara do trabalho eu dei. E o pior de tudo é que ele correspondeu. Mas eu sou uma “bad girl” e não preciso de Britney para fazer esse meu “lado sombrio” aparecer.

Além disso, inspirado num post que o Renato fez sobre Alterego, eu me peguei pensando sobre isso depois da cena de cantada de ontem. Eu acredito que todos nós temos um lado bonzinho e um lado ruinzinho dentro de nós. Alguns conseguem conviver com os dois ao mesmo tempo. Outros deixam um lado aflorar mais que o outro e é aí onde está o alterego. Eu passo a maior parte do meu tempo tentando agir como o garoto bonzinho, mas as vezes sou possuído por um espírito Gossip Girl e incorporo A Malvada. Quando isso acontece, eu sou capaz de causar tanto mal às pessoas, que elas voltam a desejar que eu seja bonzinho de novo. É como ter Paola e Paulina dentro de você e pudesse ligar e desligar quando quisesse. E o lado legal disso é poder jogar a culpa de coisas que você não teria coragem de fazer normalmente no seu alterego.

O meu, por exemplo, é sedento por sexo e uma piranha sem escrúpulos. Até mesmo eu fico chocado com algumas coisas que eu costumo fazer quando estou possuído pelo meu lado Sasha Fierce. Todavia, tenho estado tão focado nos estudo e tão concentrado no trabalho que mal tenho pensado em sexo e em troca de saliva com outras pessoas. Na verdade a vontade está começando a se manifestar e está me deixar louco. Tipo, eu tenho tido fantasias sexuais com cada coisa bizarra que até mesmo a pessoa mais cheia de fetiches ficaria espantada. E agora que a Sasha voltou, eu acho que vou começar a atacar de novo. Sasha é auto-confiança, decisão e ternura. Não há ninguém que resista quando eu decido ser simpático. Sasha é poder!

Então é isso, pessoal. Eu to conseguindo me controlar com a comida e sinto que estou prestes a encontrar a chave que abre a porta para motivação. Espero que consiga fazer isso o mais rápido possível, porque o verão está cada vez mais próximo e eu espero estar com meus 75 quilos o quanto antes. Também acho que estou começando a achar o equilíbrio na diversão e nos estudos. Não adianta quantidade e sim qualidade e é atrás disso que estou agora. Então esperem, porque a Sasha vai voltar. ;)

Vocês sabem que os amo!
XoXo
Candy

quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Novas Direções, Glee e Físico (again ¬¬*)

Oi pessoal, eu estou pensando em aderir a um novo formato pro blog e estou começando a testar com este pequeno post. É uma técnica que eu comecei a perceber em outros blogs e mais freqüente nos Vlogs. É um esquema que eu também consegui associar à dissertação: três argumentos. No qual o primeiro parágrafo é introdutório, os três seguintes onde se desenvolve os argumentos e o terceiro fechando com uma linda conclusão.

Não esperem que eu siga o escopo atual de uma dissertação, porque esse não é meu objetivo. Tudo que quero fazer é voltar a escrever com mais freqüência e rechear esta linda página web com um conteúdo a fim de entreter suas mentes cansadas depois do dia de trabalho e talvez até aliviar a minha também. Mas não esperem que o conteúdo seja interessante tanto quanto...

GLEE! A série voltou. Sim, faz duas semanas e só hoje eu conseguir me organizar com os episódios e consegui assistir. Ainda faltam algumas séries pra baixar como Queer As Folk (super-hiper-mega-master-atrasado), Vampire Diaries (também voltou, mas ainda não vi um episódio sequer), One Tree Hill (já estou desistindo dessa) e True Blood (mais uma de vampiros, mas com putaria).

Os dois episódios de Glee que já foram exibidos foram muito bons. Eu gosto dessa série pelos seguintes motivos: até hoje foi a que mais se aproximou do cotidiano estudantil americano; as músicas são muito boas, principalmente as mais antigas; todos cantam muito bem; o roteiro e a direção são bons; foi a primeira série que eu comecei a assistir sem indicação de ninguém e gostei logo de cara.

Mas hoje foi mais um dia que não fiz meu plano de dieta e nem meus exercícios. Como eu pensava, fazer apenas uma vez por impulso não dá certo se você não tem certeza se conseguirá forças para continuar no dia seguinte. A balança me assusta cada vez mais e eu não consigo me controlar com a comida e nem tomar vergonha na cara. Eu preciso de um tapa para acordar. Eu já consegui fazer isso antes, eu sei que consigo de novo, o problema é que eu não to encontrando a chave para abrir a mesma porta que abri da última vez.

E hoje aconteceu uma coisa bem engraçada. Eu estava me queixando com minha amiga Alê sobre esse problema de não conseguir me controlar com a comida e não seguir os exercícios. Fiquei reclamando durante horas no ouvido dela e falando que queria voltar ao meu peso antigo. E quando viramos a esquina eu vejo uma barraquinha vendendo biscoito e solto a pérola: “Ai que vontade me deu de comer Torcida! DE QUEIJO!”.

Seria trágico se não fosse cômico. Eu não sei como, mas eu tenho que dar um jeito de parar de comer besteiras e voltar a fazer exercícios. Embora não tenha comido muita besteira desde segunda feira, também não fiz nenhuma força para reduzir a quantidade de alimento. Não tenho me preocupado com o que é saudável e tão pouco tenho comido coisas muito gordurosas. Acho que to no equilíbrio, embora saiba que a balança tenha que pender para o lado mais slim.

E então é isso, pessoal, espero que tenham gostado da nova dinâmica de POSTS que estou propondo. Ainda assim, é pouco provável que eu entre todos os dias para escrever, mas eu sinto que com esse ritmo as coisas podem fluir melhor.

XoXo
Candy

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

News

Fala galerinha! Como sempre nunca consigo cumprir minha promessa. Eu realmente fico tão ausente daqui que às vezes as pessoas pensam que eu estou abandonando o barco, mas saibam que não pretendo fazê-lo. Na verdade apenas pensava em mudar de endereço, visto que ainda me sinto um pouco travado para falar de certas coisas, dados alguns fatos não muito recentes.

Eu não lembro se cheguei a comentar, mas finalmente estou tendo aulas de direção. Tudo clandestinamente, é claro. Meu pai está me ensinando aos domingos. Ele é um professor um pouco impaciente, mas eu tenho aprendido direitinho. Dirigir é muito bom e fácil. A cada aula eu pego mais confiança. Na última meu pai disse que já estou bom para auto-escola, mas eu declinei à oportunidade. No momento, não se esqueçam que estou focado no curso.

As aulas estão indo muito bem e cada dia aparece um novo professor mais gostoso que o anterior. Eu fui parar no céu e nem precisei morrer. Mas tirando os flertes durante as aulas, eu tenho sido um aluno muito aplicado. Tenho estudado pra caralh*. Tive que abdicar até de algumas boas coisas que vinham acontecendo na minha vida, mas que estava me sufocando. Um relacionamento que comecei online com um garoto incrível. O nome dele é Renato. Eu gosto tanto dele, mas não posso ficar me distraindo com o coração agora. Não posso perder o meu FOCO (me senti o Olho-Tonto Moody (Harry Potter) agora).

O trabalho tem estado mil maravilhas. Eu não canso de repetir que tenho o melhor emprego do mundo, tirando o fato de precisar fingir que sou hetero. Pude notar que meu chefe tem se adaptado ao meu jeito e eu ao dele. Ele é o tipo de pessoa que te trata de igual para igual e te ajuda quando você mais precisa. É claro que a produtividade é realçada quase com 100% (pelo menos da minha parte). Muito diferente do outro emprego, onde cada dia eu me levantava com pesar para ir trabalhar.

Mais um mês sem beijar na boca. Estou desaprendendo o que é isso. Não é por falta de oportunidade, é claro, mas ultimamente tem sido mais por falta de motivação. É engraçado que toda vez que eu digo que “não quero mais saber de homens” surge uma fila quilométrica à minha porta (Lei de Murphy). Mas eu abstraio, olho pra frente e lembro-me do meu foco. Sei que no final tudo vai compensar.

A propósito, não tomei vergonha na cara e estou sem a mínima vontade, mas hoje comecei meu novo programa de dieta. É claro que sem força de vontade, as chances de isso dar errado são quase de 99,999%. Eu só estou fazendo por fazer, dessa vez e vou tentar manter o ritmo até me acostumar novamente. Espero me animar com o passar do tempo e recuperar meus 75 quilos pelo menos até o verão. A coleção da estação está incrível e não quero deixar de comprar roupa só porque estou mais gordo do que eu deveria.

Por hora, sem mais para comentar. Fiquei sem internet uns dias e por isso atrasei um pouco este post. Vou tentar aquela promessa de manter o blog atualizado, mas já sabem que não podem contar comigo pra isso. Essa segunda temporada está fraquíssima e eu ainda não descobri o tema. Então vamos ver no que vai dar e espero que coisas mais interessantes aconteçam até lá.

Vocês sabem que me amam.
XoXo
Candy

terça-feira, 7 de setembro de 2010

Motivação

Até o ano passado eu era totalmente decidido. Se eu não gostava de algo eu tratava logo de mudar e foi assim que emagreci em torno de 10 quilos. Com o tempo fui relaxando com tudo e a preguiça foi me apoderando. Hoje recuperei os 10 quilos novamente e não consigo mais aquela motivação que eu tive da última vez. Eu sempre tive problemas com meu corpo e todos que me acompanham a muito tempo sabem disso. Eu quero voltar a malhar, ficar bonito novamente. Isso faz bem pra auto estima e eu lembro que naquela época tristeza não se encontrava no meu vocabulário. Aquele lance sobre endorfina ser liberada no organismo logo após o exercício é pura verdade e só agora eu acredito. Eu preciso voltar. Eu quero voltar e me sentir bem comigo mesmo. Eu quero fazer isso por mim, porque ninguém mais pode fazer. Só não consigo encontrar a motivação que tinha da última vez. Será que alguém pode me ajudar? =S

Bjoos...

PS: Acho que esse é o post mais curto que eu já fiz em toda minha vida. xD

segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Eclipse Total do Coração...



Vire-se! De vez em quando, eu fico um pouquinho solitário e você nunca está voltando. Vire-se! De vez em quando, eu fico um pouco cansado de ouvir o som das minhas lágrimas. Vire-se! De vez em quando, eu fico um pouco nervoso que o melhor de todos os anos se passaram. De vez em quando, eu fico um pouquinho apavorado e então eu vejo o olhar em seus olhos. Vire-se, olhos brilhantes! De vez em quando, eu desabo. Vire-se, olhos brilhantes! De vez em quando, eu desabo!

E eu preciso de você hoje à noite, e eu preciso de você mais do que nunca. E se você apenas me abraçar apertado, nós estaremos abraçados para sempre. E nós estaremos apenas fazendo o certo, porque nós nunca vamos estar errados juntos. Nós podemos levar até o fim. Seu amor é como uma sombra em mim o tempo todo... o tempo todo... Eu não sei o que fazer e estou sempre no escuro. Estamos vivendo num barril de pólvora e soltando faíscas.

Eu realmente preciso de você hoje à noite. Pra sempre vai começar hoje à noite... Para sempre vai começar esta noite...

Era uma vez, eu estava apaixonada. Mas agora, estou apenas caindo aos pedaços. Não há nada que eu possa fazer. Eclipse total do coração. Era uma vez, havia luz na minha vida. Mas agora existe apenas amor na escuridão. Nada que eu possa dizer. Eclipse total do coração.

Vire-se, olhos brilhantes! De vez em quando, eu desabo. Vire-se, olhos brilhantes! De vez em quando, eu desabo!

E eu preciso de você hoje à noite, e eu preciso de você mais do que nunca. E se você apenas me abraçar apertado, nós estaremos abraçados para sempre. E nós estaremos apenas fazendo o certo, porque nós
nunca vamos estar errados juntos. Nós podemos levar até o fim. Seu amor é como uma sombra em mim o tempo todo... o tempo todo... Eu não sei o que fazer e estou sempre no escuro. Estamos num barril de pólvora e soltando faíscas...

Eu realmente preciso de você hoje à noite. Para sempre vai começar hoje à noite... Para sempre vai começar esta noite...

Era uma vez, eu estava apaixonada. Mas agora, estou apenas caindo aos pedaços. Nada que eu possa fazer. Eclipse total do coração... Eclipse total do coração... Eclipse total do coração...

Vire-se, olhos brilhantes...

sábado, 28 de agosto de 2010

Concurso Público

Está tudo bem novamente. As coisas se acertaram com algumas pessoas e o medo já passou. Agora posso retomar minhas criatividades despreocupado de comentários posteriores. Essa semana demorou muito a passar, mas sinto que o fim de semana passará voando por meus dedos. E apenas vinte e quatro horas por dia não são suficientes para fazer tudo que eu preciso. No momento, minha garganta está totalmente ferrada e sinto que minha cabeça já não consegue mais computar nenhuma vírgula.

Eu sempre soube que um dia chegaria o momento onde eu teria que abdicar por completo da minha vida social e esse dia chegou tão iminente que nem percebi. Sinto falta dos tempos de ócio findados em diversão. Das conversas sem sentido e do clima bom de estar com meus amigos. Mas agora minha única companhia é este velho computador e os livros.

Se preparar pra concurso público é realmente uma coisa complicada, porque para quem quer passar, a parte mais difícil é abdicar da vida social e diversão. Mas eu devo pensar nisso como um investimento, pois sei que se estou perdendo agora, ganharei mais no futuro. Eu só penso na frente, porque é o que faz qualquer um estudante seguir em frente. Talvez se eu tivesse estudado antes, hoje eu já estaria bem resolvido quanto a isso.

Agora que eu fiz essa pausa para atualização, vou voltar a estudar. Mas antes, um beijo especial para cada amigo meu (e vou citá-los um a um para que não haja problemas): Alessandra, Bruna, Thiaguinho, Thiago, Jéssica, Jéssica, Talícia, Paola, Jaqueline, Sandrinha, Leandro, Juju, Vanessa, Letícia, Pâmella, Glauber, Elsinho, Igor, Dhyogo, Jacques, João Pedro, Bruninha, Ana, and my dear love Renato. ;)

XoXo

Candy

sábado, 21 de agosto de 2010

Another Day

Acordei cedo novamente com a escuridão ainda perdurando meus aposentos. Já não consigo mais sentir aquela preguiça de querer continuar na cama. Durmo cada vez menos e levanto cada vez mais rápido. Talvez isso faça mal, mas eu não me importo. As vezes precisamos nos sacrificar um pouco para sermos recompensados no final. Uma pessoa me fez perceber isso.

Depois que eu extravasei naquele dia, me sinto mais calmo, mais centrado e motivado. Tudo o que eu sempre costumo sentir após uma calorosa discussão (e alguns goles de guaraná). Hoje dormi mais do que eu poderia. Acordei bem tarde e acabei não estudando na parte da manhã, então agora só poderei fazê-lo o resto do dia. Mas aqui em casa está difícil de me concentrar porque minha irmã e meu cunhado perturbam muito.

Eu ouvi dizer uma vez que o mais íntimo que temos é o nosso pensamento. É o único tesouro que não nos pode ser roubado. É a única coisa que nem a força é capaz de nos tirar. E eu sinto prazer em compartilhar meus pensamentos (que são coisas BEM íntimas) com os outros. Eu tenho vergonha de fazê-lo verbalmente e sempre tive. O blog foi uma ferramenta de escape que tive para me fazer entender pelas pessoas, uma vez que escrevo muito melhor do que falo. Nunca tive muitos acessos e nem muitos comentários. Nem sempre escrevo, mas aqui é o meu refúgio. Só que eu gostaria que o que fosse do blog, não saísse daqui. Esse é o meu canto. É o meu íntimo. É o meu refúgio. É o único lugar onde eu consigo gritar e ser ouvido.

Por conta de algumas coisas que aconteceram essa semana, eu cheguei a pensar em fechar o blog, mas não consegui fazê-lo por conta da história e todo o tesouro de pensamentos que guardo nele. Meus sentimentos, minhas dúvidas, certezas e especulações registradas em um espaço de tempo maior do que um ano.

Mas agora toda vez que eu estou inspirado pra escrever, eu tenho medo de fazê-lo, porque mesmo que esse blog tenha me trazido coisas maravilhosas, ele também me trouxe muitos problemas na vida em off. Eu gostaria de voltar a ter esse espaço escrito do meu cérebro mais fechado. Não ligo que outras pessoas leiam, só gostaria que meus tópicos não se fizessem materiais no mundo real, pois aqui as conseqüências são inexistentes. Lá fora o buraco é mais em baixo.

Eu estou pensando em fazer umas mudanças aqui. Trocar esse layout, dar um jeito nessas tags... Enfim, aguardem. ;)

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

Descarrego

Hoje não vou me preocupar com boa escrita ou qualquer outra coisa, porque tudo que eu quero é extravasar uma semana difícil. Então vou ser sucinto:
Primeiro, meus amigos não acreditam em mim, no trabalho estou tendo mais coisas pra fazer do que posso agüentar e aqui em casa ta um inferno com essa mudança da minha irmã. É horrível quando tentamos ajudar as pessoas e acabamos nos complicando. Pior ainda é quando dizemos a verdade, mas não acreditam. Isso ta me deixando num nível de stress tão grande que eu acabo pensando coisas ruins e atraindo mais ainda. Como saiu um estagiário no lugar onde eu trabalhava, tem sobrado mais trabalho pra mim e pros outros, só que eu estou dormindo pouco, comendo pouco estudando que nem um maluco e agora não estou conseguindo parar nem um minuto pra descansar no trabalho. Aqui em casa é sempre a mesma putaria de sempre, minha irmã, meu cunhado e minha sobrinha fazendo tudo que dá na telha e destruindo a casa toda. E minha mãe não falando NADA!! Acabei de ter uma discussão horrenda com ela como não tinha há um tempinho... Caramba... Já to de saco cheio!! To cansado!! Física e mentalmente... Dá vontade de dar um tiro na cabeça... Eu queria entender que força é essa que não me deixa desistir de tudo, como eu mesmo já disse várias vezes que faria. Eu só não consigo encontrar esse ÚNICO motivo que ainda me prende a tudo... Queria entender... Pois já estou de saco cheio... Queria que tudo terminasse... Será mais fácil... =/E talvez seja por isso que não consigo pôr um fim em tudo. Porque comigo o mais fácil nunca funciona. Sempre o mais difícil. Queria que minha mãe não existisse. Ou que eu nunca tivesse nascido. Isso sim teria sido um alívio pra mim. Pouparia a dor de TODO mundo.

quarta-feira, 11 de agosto de 2010

Sucesso e Felicidade

São duas coisas completamente diferentes. Você sabe que tem sucesso quando tudo que tenta fazer termina da forma que esperava. Felicidade é quando você se sente realizado com alguma coisa. Isso é capaz de liberar endorfina suficiente em seu organismo de forma que se sinta satisfeito. Eu gostaria de colocar isso em melhores palavras, mas com meu senso criativo fechado, foi o melhor que consegui fazer.

Eu estava relendo uns posts antigos e constatei que mudei muito durante esse tempo. Consegui amadurecer um pouco e percebi o quão algumas idéias eram desconexas. E, sobretudo, ainda fiquei abismado quando vi que estas faziam completo sentido na minha cabeça. A forma como eu enxergava as coisas eram perfeitamente claras e tudo se resumia em sonhos inocentes de um tolo jovem de 16 / 17 anos.

Citando o que mudou: os relacionamentos, estudos, emprego, responsabilidades e consideração. No geral, toda a forma de enxergar o mundo. Foi como sair de dentro de uma quente bolha e mergulhar no mais profundo gelado; como acordar caindo da cama no meio da madrugada. Essa transcendência eu queria deixar pra fazer no final do ano, mas por que esperar?

Quando me refiro a relacionamentos, não quero dizer apenas amor, pois também incluo amizade nesse pacote. Hoje a última coisa que quero é um namoro, tendo em vista que sou totalmente mal resolvido internamente e dessa forma não me encontro preparado para lidar com outra pessoa. Isso se reflete também nas amizades. Eu tenho uma maneira muito singular de pensar e, embora muito tenha mudado, ainda enxergo algumas coisas com clareza. Ainda não aprendi a compartilhar minha opinião de forma proveitosa. Mas também acho que alguns têm que aprender a me ouvir.

Quanto aos estudos, tudo se tornou melhor. Hoje eu sinto prazer em sentar na cadeira, pegar um bom e velho livro de gramática e cair dentro. Meu objetivo é passar num concurso público e pra isso eu preciso dar tudo de mim. Eu quero atingir o ápice da independência e definitiva liberdade. E pro estilo de vida que eu quero ter, tenho que ganhar muito bem. E acredito que só o estudo poderá me dar esse privilégio.

O meu primeiro emprego foi ótimo e eu só consegui perceber isso há três dias. Foi quando parei pra pensar que eu poderia estar ganhando aquela grana toda novamente. Que eu podia estar saindo mais com meus amigos. Talvez até morando sozinho ou perto de realizar o meu sonho de ir para Londres ou visitar o Parque Temático do Harry Potter. Hoje ganho muito mal no meu estágio, mas é sem dúvida o melhor emprego do mundo. O melhor chefe, os melhores colegas, as melhores tarefas. É tudo muito bom pra ser verdade. Todavia, meu último emprego não tinha sido tão ruim e você só percebe o que é ruim de verdade quando está desempregado. As brigas constantes, os sentimentos de invalidez... Eu apenas podia ter sido mais condescendente com minha ex-chefe. Em outras palavras, eu poderia ter sido menos infantil.

Sem dúvida eu fiquei mais responsável (mesmo ainda não tendo renovado a minha identidade rsrsrs). E aprendi a ter uma consideração muito maior pelo meu pai. Acho que consegui eliminar 80% de qualquer mal que minha mãe me causou e estes 20% estarão marcados para sempre. Eu agora acordo no horário certo todo dia, feliz por estar indo fazer o que gosto (estudar pra mim realmente se tornou muito prazeroso) e por estar tão bem.

Eu voltarei aqui pra reclamar mais vezes, provavelmente. Isso é natural. Quero reler este post daqui a um tempo (não sei quando) e ver que mais mudanças positivas aconteceram na minha vida. Espero que eu aprenda mais com as pessoas ao meu redor e espero estar no caminho certo. Não posso perder o foco.

XoXo
Candy

domingo, 8 de agosto de 2010

NX Zero

Ultimamente, tem aparecido um bando de pessoas querendo fazer VLOGS por causa do sucesso de pessoas como Felipe Neto e PC Siqueira. Eu mesmo pensei em fazer isso até ver o último MTV Debate e perceber que em menos de 24 horas isso ia virar uma modinha filha da puta e como em 80% dos casos eu tento fugir de modinhas, eu desisti. Mesmo tendo pensando em um conteúdo realmente bom para os vídeos, sem falar que vocês iam me conhecer e eu postaria bem mais.

Essa semana as coisas foram muito boas para mim. Eu consegui dar uma boa continuidade ao programa que eu estou fazendo. Estou meio bolado por estar deixando os estudos meio de lado, mas eu só vou conseguir me concentrar quando eu me zerar. Sem falar que eu não tenho como fazer isso até que eu termine todos os programas que eu tenho pra fazer. E até que eu acabe com todas as minhas dívidas. (seria bom eu parar de fazê-las)

Vocês já viram algum gay apaixonado por uma mulher? Tipo, você olha pra ela e percebe que ela era tudo o que você procurava, que você poderia mudar e ser o que ela quisesse. Poderia protegê-la, cuidar e dar tudo que ela precisa. Enfim, de qualquer forma isso é uma coisa que pode ser inibida e eu vou tentar fazer isso antes que fique mais forte. De fato, é uma coisa forte já. Mas que eu convivi com isso por muito tempo sem perceber, então vou voltar a ignorar. É mais sensato.

Minha amiga Alessandra saiu de casa e foi morar com a irmã. Vi Jaqueline na última sexta (06/08) e fiquei muito feliz. Ela estava meio desesperada por causa de uma prova da faculdade e tinha passado a noite em claro estudando e fazendo um trabalho. Bruna vai começar a faculdade dia 17 de agosto. Júnior devolveu meu casaco (desde o dia que fomos pra boate). Vanessa ainda namora com a praga do Diogo, mas dá pra conviver com isso. Paola parece mais maluca que o normal. Ela precisa de um psicólogo. Não vejo as Jéssicas há um bom tempo. Talícia está morrendo de inveja porque tenho aula no curso com um professor lindo. Thiago finalmente completou 18 anos, agora só falta a Paola. Thiaguinho aderiu à moda dos VLOGS e comprou um netbook. As coisas no estágio estão indo super bem e aqui em casa nem tanto, mas eu resolvi desistir de tudo. Não adianta lutar sozinho.

Sabe, uma vez eu lembro que postei um lance aqui sobre o que eu pensava dos meus amigos e deu o maior rolo. E eu depois parei pra pensar que eu não devia ter me importado tanto e nem eles. Esse aqui é o MEU blog. São as coisas que EU penso. Eu faço e falo o que quero... =/ E seus loucos, se eu não os amasse eu não diria que sinto saudades e nem que amo vocês. Parem de ser bobos. XD

O dia dos pais foi ótimo. Comi até não poder mais. Só que eu estou engordando muito. Isso tem me incomodado. Eu quero voltar a ter meus 72kg. Eu estou com 80 (sei que não estou nem perto de ultrapassar o meu IMC), mas eu gostaria de voltar a época que eu tinha esse peso e me sentia magro. Por falar nisso, minha auto estima anda lá em baixo. Eu tento, tento, tento, tento e não consigo me acostumar com isso ou então melhorá-la. É uma coisa que as vezes eu descubro me machucar. É horrível.

Tenho andado com vontade de ficar em casa todo o tempo, mas não quero que meus amigos me chamem de anti social depois. Se bem que as vezes eu acho que eles nem vão perceber que eu não estava lá. E dentro de casa tem andando um saco. Eu gosto de ficar em casa sozinho, mas agora que minha irmã está de mudança, aqui está um caos. Não suporto nenhum dos habitantes dessa casa, exceto meu pai. Acho que é porque eu e ele passamos o dia todo fora. Na última discussão aqui em casa minha mãe disse que eu sou insuportável e que eu tenho que viver sozinho e isolado. Concordo mesmo com isso e mal posso ver a hora desse sonho se realizar, mas pra isso, eu tenho que estudar. Estudar muito mesmo.

XoXo
Candy

quinta-feira, 29 de julho de 2010

Amigos...

“Seus únicos amigos somos eu e seu pai” minha mãe sempre disse. E eu sempre retruquei. Sempre fui leal aos meus amigos. Sempre lutei por eles até o fim. Brigamos várias vezes, já discordamos muito, mas nunca gostei de ficar muito tempo sem falar com eles. Pra mim, eles sempre foram a base que me faltou em casa. Em referência ao post do Foxx, a minha Kriptonita são meus amigos.

Minha mãe venceu e perdeu ao mesmo tempo. Todo o conceito de amizade que eu tinha está ruindo pouco a pouco. Cada vez mais eu me pergunto se ainda tenho algum amigo. Me sinto mais só do que nunca. É como se eu tivesse o dom de afastar as pessoas de mim. E cada vez eu percebo mais o quanto estão distantes de mim... Será que foi o que eu me tornei? Será que eu realmente sou o problema?

Quanto a perda da minha mãe, é que ela nunca foi e nunca será minha amiga. Amigos são aqueles que escolhemos e eu não quero uma amiga como ela. Mas eu não queria admitir o que ela dizia sobre “com o tempo, os amigos seguem seus caminhos”... É assim mesmo? Não consigo acreditar nisso, porque me dói muito. Meus amigos são tudo pra mim.

Eu sinto falta da Bruna. Eu a vejo sempre, mas eu sinto falta de presença dela na minha vida. Eu sinto falta do tempo que passávamos juntos sem fazer nada ou falar. Ficávamos cantando, dançando, rindo, zoando... Ela foi mais minha irmã do que minha própria irmã. Ela foi mais minha mãe do que a minha própria. E no caso, muitas vezes eu fui como um pai pra ela. Um pai meio moderno...

Quando dizem que tudo na vida tem um fim, eu não pensei que fosse TÃO ao pé da letra. Se bem que não é um fim tão dramático quanto poderia ser. Poderia ter sido uma briga e eu sabia que quando voltássemos, a amizade estaria mais forte que antes, no entanto. Não houve nada. Simplesmente um afastamento... Talvez perda de interesse. Não saberia explicar exatamente o que.

Eu sei que ela ainda gosta de mim, mas eu sei que não da mesma forma que antes. Nenhum amor morre, só se transforma... Esse se transformou em algo que nem eu sei explicar. Da última vez eu explodi isso com ela e não quero fazer de novo. Tudo tem um fim, então é melhor eu começar a aceitar, antes que seja mais doloroso. Chorei horrores e não suporto chorar na frente das pessoas. Então eu prefiro chorar aqui em casa que é mais íntimo. O problema é que eu não sei quando vou conseguir parar...

“Das nuvens eu posso cuidas, mas não posso lutar contra um Eclipse...”