sexta-feira, 26 de dezembro de 2008

Papai Notel é um filho da puta


Estou com vontade de encher a paciência de alguém, então como não tem ninguém com quem eu possa fazer isso. Vim aqui. Primeiramente vou contar como foi meu natal.

24 de Dezembro de 2008

Eu fui dormir hiper tarde porque fiquei ajeitando umas coisas pra levar pra casa da minha irmã. Acontece que eu não suporto passar o natal fora de casa, porque aqui é onde estão meus amigos e a minha maravilhosa internet que as vezes me extressa! Além disso, sou jovem, então gosto de presença de pessoas da mesma idade que eu. E de preferência eu gosto de já conhecer a pessoa. Esse lance de ir pra um lugar só pra fazer amizade não é comigo, porque eu sou tímido de mais... Mas voltando ao assunto...

Minha mãe me acordou dizendo que tinhamos que ir logo pra minha irmã porque ela tinha que ajudá-la a fazer várias coisas. Só que eu não queria ir tão cedo. Porque eu queria falar com o Portillo primeiro. Desejar-lhe feliz Natal e essas coisas. Bom, fiz um draminha e consegui ficar em casa. Minha desculpa foi que eu tinha que arrumar a casa e gravar uns filmes em DVD pra eu poder ver. Até aí não foi mentira nenhuma, porque meu quarto estava mesmo uma zona e eu tinha que gravar o filmes. A final, a única fonte de diversão que eu tinha, eram meus filmes que passei a madrugada inteira baixando.

Bom, fiquei até tarde em casa arrumando e ouvindo som no maior volume possível. Depois fiquei um pouco no msn e conversei com o Portillo, me despedi e fui tomar banho. Assim que acabei, liguei pro meu pai perguntando se ele queria que eu o esperasse pra irmos juntos pra minha irmã. Ele disse que tudo bem e eu decidi esperar (esse foi meu erro). Então eu fui pra rua. Passei na minha amiga pra falar com ela e desejar feliz Natal. Depois fiquei com meu amigo na rua esperando meu pai chegar. Então começou a choviscar, mas o céu estava ensolarado. Logo apareceu um arco-íris e começamos a tirar fotos com celular. Tiramos várias fotos do céu que depois ficou magnífico.

Então a noite chegou e meu pai também. Ele disse que antes de sair, ia jogar uma água no carro porque estava muito sujo. Bom, até aí tudo bem. Eu o ajudei e blá blá blá. Um tempo depois, eu estava esperando ele na rua e falando com o pessoal antes de ir. Meu pai saiu e perguntou onde estava a chave do carro. Eu disse que não tinha pego. Ele armou um escândalo porque eu não fui pegar imediatamente e ainda tava abraçando meu priminho que é a coisa mais fofa do mundo.

Odeio escândalo da minha família na rua, só que já estou acostumado com isso porque minha família mora toda junta (primos, tios, avó...) e eles adoram um escândalo na rua. Bom, eu respirei fundo e fui em casa pegar a dorga da chave. E quando eu estava descendo, meu primo veio pedir pro meu pai uma ferramente. Ele gritou pra que eu pegasse a ferramenta dizendo que estava dentro da bolsa de ferramentas dele. Bom, eu procurei dentro das duas bolsas e não achei. Ele começou outro escândalo me chamando de emprestável que eu não conseguia achar nada. Ele desistiu e veio procurar. Quando não encontrou ficou com cara de taxo e começou a dizer que eu havia mechido na bolsa de ferramentas dele e tinha tirado tudo do lugar.

Eu comecei a gritar com ele porque já estava me extressando também. Depois ele gritava cada vez mais alto e começou a me xingar. Larguei tudo pro alto e saí de casa batendo pé portão e tudo que encontrei no caminho. Passei pelo meu primo (não suporto ele) e ele me encarou com uma cara de quem quer dizer: Babaca. Todos na rua ficaram me olhando, mas eu não liguei. Sentei no muro da esquina esperando o paspalho do meu pai sair logo pra ir pra casa da minha irmã. Eu só não me revoltei mais, porque minha mãe ia dar xilique comigo e além disso minha irmã não tem culpa de nada. Esse é o primeiro Natal dela como casada e como mão. Por isso a família resolveu passar lá.

Bom, depois de um tempo, meu pai apareceu e eu entrei no carro. Olhei pra janela o tempo inteiro e não troquei uma única palavra com ele. Cheguei na casa da minha irmã e minha mãe foi logo dizendo: Que cara de bunda! Ai, odeio quando falam isso. Como se eu tivesse obrigação de sorrir o tempo inteiro. Ainda mais depois depois das coisas que meu pai me chamou. Ele destruiu meu natal. Então minha mãe também ficou de implicância e eu me recusei a contar pra qualquer pessoa o que eu tinha passado.

Graças a deus, naquela noite minha irmã, meu cunhado e minha sobrinha de apenas 3 meses me divertiram e a noite não foi totalmente perdida.

25 de dezembro de 2008

Passei a Madrugada inteiro assistindo Batman, RBD Live in Rio, Harry Potter 4 e 5. Quando vi que já estava amanhecendo, eu deitei no sofá e fingi dormir. Vi meu pai levantando pra fumar na janela mas fingia que estava dormindo. Depois ele voltou pro quarto. Minha irmã e meu cunhado depois sairam pra beber água...

Depois de umas duas horas o dia estava totalmente claro e todos já estavam acordando. Aproveitei que uma cama já estava desocupada e fui pro quarto da minha sorbinha deitar e fingir que dormia em paz. fiquei sonhando acordado e o tempo inteiro lembrando da noite anterior: No momento que eu chorei, no momento de desejar feliz natal à meia noite, na minha mãe implicando comigo...

Depois de um tempo "acordei" e logo almocei. Voltamos pra casa logo depois do almoço e a primeira coisa que eu fiz foi ligar meu computador pra eu falar com o Portillo. A única pessoa com quem eu quis estar durante todo esse tempo. A única pessoa em quem eu pensava durante aquela madrugada solitária. A única pessoa com quem eu desejei passar o resto dos meus Natais. Ter dezesseis anos e não ser satisfatoriamente assumido é a pior coisa que existe no mundo. Se eu pudesse, fugia com ele pra bem longe, mas sei que essa não é a solução.

Bom, o resto do dia 25 passei vendo filme, conversando com meu amor e ainda consegui ir dormir tarde, mesmo estando mais de 24 horas acordado. A melhor parte desse natal foi quando estive conversando com ele no msn. Infelizmente não consegui comprar nada pra ele de presente e meus órgãos estão morrendo por dentro de tanta saudade que estou sentindo. Eu não contei pra ele como foi meu natal porque presumi que ele sentiria pena de mim e eu não quero ser digno de pena. Também não gosto de ser visto como fraco pelas pessoas.

Estou contando isso aqui apenas pra dar as seguintes dicas:
1 - Jamais seja forçado a fazer o que não quer.
2 - Não deixe que te abalem dizendo coisas sobre você, ainda mais se essas coisas não são verdadeiras.
3 - Você pode não ter o apoio de quem queria ter, mas sempre há uma outra pessoa que pode te apoiar. Essa é que merece o verdadeiro valor.
4 - Papai Noel é um filho da puta que não me deu o que eu pedi de presente (O DVD do Batman) XD

Planos para a próxima comemoração:

Eu vou me revoltar e não vou me submeter ao que os outros querem apenas para agradar. Eu quero me divertir e vou fazer o possível para que ninguém estrague isso. Já estou cansado de ser como as pessoas desejam e ainda passar por essas coisas. Ninguém nunca está satisfeito comigo, por mais que eu me esforce. E se realmente não gostam do jeito como me vêem, vou dar um motivo muito maior para não gostarem. Vou ser eu mesmo. E quero ver alguém falar alguma coisa. Vou logo mandar tomar no...

Despedida

Obrigado pela paciência de lerem esse post, se é que alguém leu e queria pedir desculpas pelha encheção de liguiça.

Eu sei que os amo.
XoXo
Candy

3 comentários:

FOXX disse...

família é sempre um problema!!

Homorango disse...

lembro muito bem das minhas brigas de família. E o que mais me arrependo até hoje? É de ter batido de frente.
Se pudesse hoje eu faria a linha Egipsia: ne aí... E isso é o melhor: fazer de conta que não esta nem aí..

Adler Lima disse...

Calma que tudo se resolve.
Eu ganhei o DVD do Batman.