terça-feira, 25 de agosto de 2009

O menino Imortal

Sabe aquela sensação que todo jovem tem de que é invencível? De que nada vai acontecer com ele, porque ele é imortal. Tantos os mais velhos quantos os jovens vão entender, porque ambos já passaram ou passam por isso ainda. Acontece que eu repensei essas questões nos últimos 3 dias.

No sábado, eu levei um tombo tão artístico que me arrebentei todo. Foi horrível, porque eu estava tão bonitinho no dia. Aí sujei minha roupa toda de lama, passei frio porque meu casaco ficou todo molhado. Sem falar do corte na mão esquerda que está doendo até agora.

No mesmo dia, mais tarde, fomos (quando eu digo fomos, eu digo: eu e meus amigos do colégio) perseguidos por malucos num carro roubado. Os infelizes subiram a calçada e aceleraram o carro na nossa direção. Eu não sabia o que fazer, só consegui agarrar na Alessandra e tentei atravessar a rua, mas dois carros estavam passando, então seríamos atropelados de qualquer forma.

Então acabei puxando-a de volta pra calçada quando vi que o carro perseguidor havia voltado pra estrada. Um bando de arruaceiros gritava e acenava dentro do carro, bradando coisas sem sentido. Palavras ofensivas e desconexas jogadas ao vento e três pessoas tão pálidas quanto possível olhavam perplexas da calçada recém-pista-de-corrida.

Embora eu tenha sido o único a achar o acontecimento, divertido até certo ponto, também fiquei apreensivo quando descobri a seriedade do evento. Provavelmente os seres que ocupavam o carro poderiam estar drogados, e se armados, a coisa teria proporções diferentes. É, mas eu não pensei nisso, a final, sou imortal, concordam? Não? Que pena...

O domingo se passou tranqüilo, exceto por tropeções e arranhões ocasionados por esbarrões descuidados em objetos que eram para ser inofensivos. Nada sérios, embora a mão continuasse a doer devido ao corte produzido pelo tombo no dia anterior. Diga-se de passagem que o dia foi mais tranqüilo do que eu esperava e ainda bem que foi assim. Eu preciso de descanso as vezes. Primeira prova de que não sou invencível.

Hoje o dia teria transcorrido tão bem se não tivesse o infeliz azar de torcer o pé. Sim, exatamente. Estou com a perna esquerda imobilizada por um mês, provavelmente tendo que fazer uma cirurgia devido a um ligamento ósseo rompido. Nesse exato momento estou sentindo uma dor aguda e incômoda que não me deixa.

Estou com medo das dificuldades que vou encontrar pra ir pra escola na quarta feira. Eu preciso subir uns lances de escada, rezar para que o ônibus pare e que venha cheio. E ainda estudar porque tem prova. A parte boa é que ficarei sem fazer natação pelo resto do mês. A má é que a caminhada se foi. Também tem o aniversário da minha sobrinha, que passarei de muleta. E ainda há planos que terão de ser cancelados porque me encontro impossibilitado no momento.

Por sorte já tenho experiência com imobilização nas pernas. Essa é a minha sétima vez e logo haverá a oitava. Vou fazer um bolão pra saber se chego à décima. Estou com um pouco de medo do resultado da ressonância que terei que fazer. Ela decidirá se precisarei operar ou não. Indiferentemente do resultado, não poderei fazer nada até o final da escola. Nada vai atrapalhar meus estudos agora.

E por falar nisso, hoje me senti orgulhoso de mim mesmo por causa da aula de PHP. Meu professor gostou do meu trabalho e até pegou o meu telefone pra caso alguma oportunidade de estágio pinte, ele me ligar. Só que infelizmente eu ainda não sou o melhor da turma, mas vou continuar lutando por isso. Ainda quero dominar o mundo... *risada maligna*

To brincando, na verdade eu só quero ser bom o bastante em alguma coisa. O melhor, se possível, pra poder jogar na cara das pessoas que eu consegui realizar o meu sonho. E que independente da minha orientação sexual, eu sou inteligente e não encaixo nos estereótipos de que todo gay tem que ser cabeleireiro. Mesmo levando em conta que eu tenho um talento natural pra coisa... SUHAIshiUHASuihAIUSas...

Estou com sono e dor agora. Vou tomar um remédio, beber uma água e tentar dormir. Meu pé está quente e eu odeio sentir temperaturas exageradas no pé. Aquele frio que chega a doer ou então aquele calor que dá vontade de arrancar a pele pra refrescar um pouco mais. Como eu já sou quente, não ajuda muito essa tala. Enfim...

A propósito, só pra esclarecer, eu sou QUENTE, LITERALMENTE. Minha temperatura normal vai de 37,5 a 38 sem problemas. Eu já fui num médico verificar isso, e ele disse que estranhamente isso é normal. Que não tem nada de errado comigo e que estou saudável. Outro amigo disse que eu sou um humano evoluído pronto pra encarar os efeitos do aquecimento global.

XoXo
Candy

5 comentários:

Cocada.g disse...

Um que pena pelo ocorrido com você. Não sei como é a sensação de ficar impossibilitado por algum acidente, já que nunca sofri nada grave, mas imagino que deve ser chato deixar de fazer um monte de coisa. Rapaz esse negócio ai de esteriótipo é foda mesmo! Mas não tem nada a ver pra mim, eu nunca senti vontade de ser cabeleireiro ou estilista ou qualquer coisa ligada com moda, simplismente não gosto muito. Nem me pentear direito eu sei, isso é de familia mesmo hehe! Mas se você gosta do que faz não se importe com os que os outros dizem. Eu faço Engenharia Eletrica e gosto pra caramba, e apesar de dificil pacas eu sempre gostei de matematica e fisica e tecnologia, não sou o melhor e nem luto tanto pra isso, só quero trabalhar naquilo que gosto!
Boa semana pra você e melhoras!
Abraços!

FOXX disse...

banho de sal grosso e arruda no senhor URGENTE!!!!

Vanderson disse...

é tá precisando de uma banho de mar
bem pesadoo!!hehehhee

adorei o blog!!!
abraçoo!

Arsênico disse...

Mas gUri... que isso?... acho que nem só banho de mar... mas todas as simpatias possíveis... o senhör tá carregado héim?...

Quanto à escola... desejo-lhe sucesso... e vamos mostrar que vida de Gay não é purpurina...

***

umBeijo!

_DrigãO_ disse...

Hehehe

isso tudo é muito natural, e no final fica tudo bem. Eu sei que provavelmente deve tá se preocupando bastante por causa da perna, mas você vai ver que nem é nada.

Abços!